13 de janeiro de 2008

A ORTODOXIA DA CARIDADE

"Sabemos que o amor, quando puro, não admite nenhuma espécie de temor. Seria bom que todos alcançássemos aquele amor puro, em que o temor já não existe". C. S. Lewis

"O Amor-Necessidade clama por Deus de nossa pobreza; o Amor-Doação deseja servir a Deus, ou sofrer por Ele. O amor-Apreciativo diz 'Nós te damos graças por tua grande glória'. O Amor-Necessidade diz de uma mulher: 'Não consigo viver sem ela'. o Amor-Doação deseja proporcionar a ela felicidade, conforto, proteção - e, se possível, riqueza. o Amor-Apreciativo a contempla, e prende a respiração, e se cala, e se alegra por tamanha maravilha existir, mesmo que não para ele, e não se sente inteiramente deprimido por perdê-la, e prefirira perdê-la a jamais tê-la visto". C. S. Lewis
Bíblia NVI
Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o sino que ressoa ou como o prato que retine. Ainda que eu tenha o dom de profecia e saiba todos os mistérios e todo o conhecimento, e tenha uma fé capaz de mover montanhas, se não tiver amor, nada serei. Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me valerá.

Deus é amor. Todo aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele. Dessa forma o amor está aperfeiçoado entre nós, para que no dia do juízo tenhamos confiança, porque neste mundo somos como ele. No amor não há medo; ao contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor.

Nós amamos porque ele nos amou primeiro. Se alguém afirmar: “Eu amo a Deus”, mas odiar seu irmão, é mentiroso, pois quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê.g Ele nos deu este mandamento: Quem ama a Deus, ame também seu irmão.

O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor nunca perece; mas as profecias desaparecerão, as línguas cessarão, o conhecimento passará. Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor.

10 comentários:

Anchieta Campos disse...

Caro Pr. Paulo Silvano, a Paz do Senhor!

Bela reflexão sobre o amor (caridade) que necessariamente deve ser parte do verdadeiro cristão, aquele que tem o seu coração cativo ao coração de Deus.
"Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor". Excelente frase!
Deus abençoe seu ministério e os seus grandemente! em nome de Jesus!

Daquele que lhe ama em Cristo, admira e é um leitor assíduo do seu blog,

Anchieta Campos

Daladier Lima disse...

Creio que sem querer há um contraste entre seu artigo anterior de Os Guiness e o atual. Esta é uma característica humana: estar em dúvida, em transição. Como diz um antigo hino de Zilanda Valentim: uns dias firmes e outros fraquejando.
Mas o amor de Deus vem em nosso socorro, expulsando o medo. Quando as pessoas não se abrem para este amor, tornam-se céticas.
Parabéns, pelo artigo.

Paulo Silvano disse...

Caro Anchieta,

A paz do Senhor. Fico grato pela frequência e pelo valioso comentário no meu blog. Que Deus abençoe a sua vida e ministério.

Caro Daladier,

Fico agradecido pelo precioso comentário. Concordo com vc; a dúvida desestabiliza e deixa-nos com a sensação desagradável de impotência e medo. Creio que somente o Amor, que C. S. Lewis chama de "amor puro", e que o apóstolo João denomina "perfeito amor", pode nos livrar do temor. Porém, havemos que concordar que entender e desfrutar a plenitude desse Amor não é tarefa fácil. A nossa infinitesimal existência só pode experimentar esse Amor através da caminhada na graça. Enquanto tentamos fazer essa caminhada e compreender esse mistério estamos sujeitos aos percalços da dúvida e do medo, até que alcancemos a estatura, em perfeito e puro amor, que expulsa o medo e livra-nos do castigo da dúvida.

Um abraço,
Paulo Silvano

Isael de Araujo disse...

Prezado pastor Silvano, permita-me conhecer o seu e-mail para lhe enviar informações sobre o Dicionário do Movimento Pentecostal, de minha autoria, caso ainda não saiba da sua existência.
Desde já, muito obrigado.
Pr. Isael de Araujo

Paulo Silvano disse...

Caro pastor Isael,

Agradeço-o por acessar o meu blog. Parabéns pela autoria dessa excelente obra. Eu também sou um apaixonado pela história do centenário movimento pentecostal moderno e, portanto, pretendo adquirir o DMP. Tenho a impressão que se trata de aquisição indispensável, entre outras, àqueles que desejam fazer precisa revisão literária do Movimento. Será uma honra receber maiores informações no meu e-mail pasica20@yahoo.com.br

Um abraço
Paulo Silvano

Rodrigo Tecelão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
alex carrari disse...

Bela reflexão Paulo. Muito propicia pois o termo amor muito mais que um conceito, representa o amago do cristianismo, uma vez que Ele (Cristo) morreu por amor. Deus é amor diz Sua palavra, assim tudo o que Ele é e faz representa o amor. Amor incondicional, amor eterno, amor que não poupa nem mesmo o objeto do Seu amor, Seu único Filho. Um abraço pastor.

Faculdade de Teologia disse...

Parabens muito bom seu Post!!!!que Deus continue lhe usando!!!
Abs!
Faculdade Teológica

Faculdade Teológica disse...

Que Deus continue abençoando seu trabalho e nos edificando com seus post Fica Na Paz!!!!
Abs!
Faculdade Teológica

Seminário disse...

Parabéns pelo seu Blog, ele é excelente e de grande ajuda a todos nós que desfrutamos de tudo que você tem postado.
fica com Deus!!!
Seminario Internacional Teologico de São Paulo </a