7 de janeiro de 2009

ENTRE NO NOVO PAÍS

Henri J. M. Nouwen, em "A voz íntima do amor"

Você tem uma idéia de como é o novo país; apesar disso, sente-se muito à vontade, embora não verdadeiramente em paz, no velho país.
Você conhece os jeitos do velho país, suas alegrias e suas dores, seus momentos felizes e seus momentos tristes. Lá passou a maior parte dos seus dias. Apesar de não ter encontrado ali o que seu coração mais ambiciona, permanece um tanto apegado a ele, tornou-se parte dos seus próprios ossos.

Agora chegou a compreender que deve deixá-lo e entrar no novo país onde o seu Amado reside. Você sabe que o que o ajudou e o guiou no velho país não vigora mais, mas o que mais você tem que seguir? A você está sendo pedido que confie que irá encontrar no novo país aquilo de que necessita. Isso exige a extinção do que se tornou tão precioso para você: influência, sucesso, até mesmo afeição e louvor.

Confiar é tão difícil, uma vez que não tem nada em que se apoiar. Apesar disso, a confiança é essencial. O novo país é onde você está sendo chamado a ir e, para isso, é preciso que esteja despido e vulnerável.

Parece que você continua cruzando e recruzando a fronteira. Por pouco de tempo, goza de verdadeira alegria no novo país, mas depois sente medo e começa a sentir falta de tudo o que deixou para trás de si, e assim volta ao velho país. Para sua surpresa, descobre que o velho país perdeu seu encanto. Arrisque mais alguns passos no novo país, confiando que, cada vez que entrar nele, você se sentirá mais confortável e capaz de ficar por mais tempo.