11 de outubro de 2009

Prefiro ficar com o Cristo a ficar com a verdade

(Dostoievski)

Creio que não existe nada de mais belo, de mais profundo, de mais simpático, de mais viril e de mais perfeito do que o Cristo; e eu digo a mim mesmo, com um amor cioso, que não existe e não pode existir. Mais do que isto: se alguém me provar que o Cristo está fora da verdade e que esta não se acha n'Ele, prefiro ficar com o Cristo a ficar com a verdade.

12 comentários:

Pastor Geremias Couto disse...

Bem, o texto explica a frase, que me pareceu em si mesma tortuosa e sutil. Interpretada isoladamente, irir discuti-la.

Mas, afinal, o que Dostoievski quis afirmar é que em Cristo está toda a verdade.

Isso é tudo.

Abraços

Marcos Wandré disse...

Graça e Paz, Pr. Paulo Silvano!


Jesus é a verdade e a verdade é Jesus. Conhecer a verdade é conhecer a Jesus. A verdade não é para ser discursada, virar tese de nossas discussões, ser objeto de estudo... A Verdade é para ser experimentada, conhecida em Jesus!

Existe um diferença muito grande entre a verdade da teologia e conhecer a verdade em Jesus! Entre essas duas verdades, prefiro experimentar a Verdade de Cristo!

Um abração e parabéns pelas postagens inteligentes!

javejireh disse...

... mesmo que pra isso (ser verdadeiramente cristão e seguir ao Cristo) seja necessário abrir mão de certas verdades de Paulo, de Pedro, de João etc... que apresentam contradições às verdades de Cristo (principalmente em relação ao sermão do monte)!
Mas .......................
.............. Quem é sábio e forte o suficiente para isso???

http://javejireh.wordpress.com

Tecelão disse...

Ops! Desculpem a falha na apresentação da minha Id. no comentário anterior.
O site publicou a URL (open ID), mas não o meu nome: Rodrigo *O Tecelão!

Gresder Sil disse...

Se me provarem que Jesus não é a verdade, então é porque não existe verdade neste mundo, ou seja se ele não é verdade ele também não é mentira, então eu fico com ele da mesma forma.

Gresder Sil disse...

Se me provarem que Jesus não é a verdade, então é porque não existe verdade neste mundo, ou seja se ele não é verdade ele também não é mentira, então eu fico com ele da mesma forma.

Tecelão disse...

Mas afinal; Qual é a verdade de Jesus?
A que ele propagou através de sua Vida, Obra e Sacrifício, principalmente no sermão do monte?
Ou a "verdade" que outros propagaram "em seu nome"?

Em relação a Deus e a JC, não é prudente perder (abandonar) a noção do perigo, e sair "...falando de coisas maravilhosas demais e as quais não compreendemos...", somente porque as lemos em alguns livros e optamos por alguns capítulos + interessantes!

Temos que tomar muito cuidado para não desmentir diante do mundo a verdade de Jesus!

http://javejireh.wordpress.com

Apologeta E.F.O. disse...

Se houvesse (o que é impossível) um dicotomia entre Cristo e a Verdade (João 14:6; 17:17), então Deus seria maior mentiroso que o pai da mentira (João 8:44)


Evangelista Eduardo França (Pentecostal Fundamentalista e Apologista-Polemista)

Ednaldo Brasileiro (GuardianFaith) disse...

Fazendo coro com o prezado Evangelista Eduardo França no seu comentário acima: Disse-lhes Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. E ninguém vem ao Pai senão por mim (Jo 14:6). Estamos então com um grande problema a resolver, como apartar um do outro (Cristo/Verdade)? Pois co-existem em essência.

alex carrari disse...

Aquilo que os nossos caros Eduardo (Evangelista, Pentecostal Fundamentalista, Apologista-Polemista) e o Ednaldo Brasileiro ignoram por completo é o momento histórico em que Dostoiévski escreve esta sentença. O estado em que se encontrava a Europa, aliás o estado em que se encontrava o luteranismo europeu, a uma distância abismal entre confissão e prática. Bebendo na fonte de um idealismo subjetivista que mais tarde vai gerar comodismo e alienação religiosa.
O que Dostoiévski faz é trazer o Cristo para o centro da vida, pois para ele a verdade se não for concreta e não se manifestar no centro da vida numa concretude existencial é apenas falácia confessional sem qualquer efeito real, palpável, nem visível. A verdade do Cristo é palpável, visível. Ele manda os discípulos dizer a João o Batista, "vão lá e digam à João o que vocês estão vendo..." Se procurassem entender o momento histórico e o que significou para a Europa do século XIX e começo do século XX, os escritos de Fiódor Dostoiévski, sequer suspeitariam de dicotomia,

Bela postagem Paulo,

Abraço,
Alex

Apologeta E.F.O. disse...

Tens toda razão Alex Carrari, mas quem vê o blog não analisa o contexto histórico do autor e/ou da frase exposada. Creio que o dono do blog deveria colocar uma ressalva no seu artigo quanto a isso. Mas independente do contexto vivido não há dicotomia, pois afastar-se de Cristo é afastar-se da verdade ulterior, absoluta e imcomparável que é o próprio (Jo 8:32,36). Nos versículos citados, Jesus faz um analogia mostrando que tanto A Verdade, quanto o Filho libertam, em outras palavras Ele mesmo. Disse Martinho Lutero: A paz se possível, a Verdade a qualquer preço.

Evangelista Eduardo França (Pentecotal, Fundamentalista e Apologista-Polemista)

Ricardo Mamedes disse...

Ninguém provará: Ele é a verdade. A única verdade para chegar a Deus. Esse é um absoluto!

NEle,

Ricardo